sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

A felicidade

Era uma vez uma pessoa.

Ela queria deitar e ficar assim até o sol nascer...
ou até ele apagar, não sei
"Will the sun rise tomorow?"(o sol vai nascer amanhã?) já canta Stratovarius...
Ela não sabe, não sabe quando ele vai nascer, ou quando ele vai terminar de apagar.

Ela queria deitar. E ficar assim até o sol apagar, e as luzes, e a cortina fechar. Até morrer.
Aproveitar seu último suspiro com um sentimento de quem entra em grande período de paz. Paz eterna.

Queria morrer e ficar assim. Cessar esse turbilhão de pensamentos depressivos de sua mente, cessar a dor e as lágrimas... Cessar a própria solidão. Queria morrer...e ficar assim.

Sou só eu ou mais alguém não consegue enxergar a roupa do rei?
"*Digam as palavras 'minha vida' e contenham as lágrimas"

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Terminal Central

"Terminal Central
Para todos os destinos
as mesmas roletas

Tlac
Tlac
Você passa
Tlac
A sua mãe passa
Tlac
O Júnior também passa
Tlac
Tlac"
(Terminal Central - Porcas Borboletas)


Cada passo que se dá, toma-se um diferente caminho na sua vida
A cada caminho diferente do habitual que se toma...
Cada segundo, cada escolha é decisiva no seu futuro, no seu destino
já pensou em quantas pessoas tomam as mesmas escolhas que você, em certos aspectos, todos os dias?
o ônibus que pegam, a roleta que passam...
quantas possibilidades de escolhas, nenhum destino é igual ao outro

Seria essa uma boa maneira de se identificar as pessoas.!
já temos digitais e leitor optico...
que tal um leitor de destinos?

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Todos querem casacos de pele...

http://www.strasbourgcurieux.com/fourrure/portugues.php

ou não?

Matadouro

(Rogério Skylab)

Quanta saudade dos antigos matadouros,
Da vaca prenha abatida sem perdão,
Dos bezerrinhos que gritavam em agonia,
Do sangue quente espalhado pelo chão.
Quanta saudade das mosquinhas varejeiras,
Dos velhos tempos de mulheres e homens sãos,
Dos viadinhos pendurados no curtume,
Do jeito simples de viver uma paixão.
Vem cá, meu bem.
Me dê a mão, vamos sair pra ver o sol.
Aí então, vou te mostrar o amor pungente
Dos animais.
Ah! Ah! Ah!

Quanta saudade dos antigos açougueiros,
Da alegria em cortar, esquartejar,
Da carne seca pelo sol do meio-dia,
Desse sertão que até parece ser tantã.
Quanta saudade do vermelho mais vermelho,
Do cheiro podre de carniça pelo ar,
Do vento forte que abre todas as porteiras,
Da estrebaria, do chiqueiro, dos currais. Vem cá, meu bem.
Me dê a mão, vamos sair pra ver o sol.
Aí então, vou te mostra o amor pungente
Dos animais.
Ah! Ah! Ah!

domingo, 2 de dezembro de 2007

Meu mundo.

O mundo gira... e gira...
De que adianta o Norte, Sul e todas essas baboseiras
Se ele continua a girar?
A bagunçar...
Começar e findar.
Girar.

Me sinto tonta
Tenho ânsia
Quero descer...

Me aproximo da janela
Quero descer...
Parar d rodar
Cirandar
Atirar o pau no gato

Quero pular...
Mas não encontro o lado de baixo.
O mundo gira... e gira...

Provisório.


Eu tinha uma vontade legal, de pegar coisas que representassem muito pra mim e fazer um tesouro. Enterrar, como um tesouro. Em um lugar onde não pudessem construir nada, pra poder buscar em alguns anos.
Então vi o tesouro de Bretodeux que Amélie Poulain encontrou. Achei legal a possibilidade de alguém encontrar o meu tesouro e me entregar anos mais tarde.

Mas no fundo, ninguém se importa.

Sempre tive medo de esquecer os momentos mais importantes da minha vida. Sempre escrevi, os descrevi. Pra mim mesma. Nunca gostei que lessem. As minhas memórias.
O doce sabor da lembrança sempre me encantou. O penetrar das palavras na minha mente...

Mas no fundo, ninguém se importa.

Aprendi que não importam as palavras não lidas e os tesouros nunca encontrados. As emoções estão aqui dentro e nenhuma amnésia profunda seria capaz de apagar nem uma vírgula(se é que vírgulas podem ser compreendidas pelo pensamento).
Aprendi também que nem todos os sentimentos são prazerosos, e por mais que me façam sentir viva, não deixam de fazer mal, causar dor. Nem todos eu gostaria de lembrar.
Aprendi que nem todas as pessoas merecem ser lembradas. Outras, por mais que não queiramos, sempre vão nos acompanhar.

Posso ter aprendido tudo errado...
Mas no fundo, ninguém se importa.


"Vou-me embora após passado o mal-estar... juro que ainda vou-me embora."

Horóscopo Maldito

http://www.e-mensagens.com/horoscopo-maldito/

O lado mau do seu signo ;)