terça-feira, 17 de junho de 2008

A Dama que Evapora

Sabe quando você para no meio da confusão noturna do centro da cidade e sente aquele ventinho frio na pele? E então você abre os olhos e enxerga que não faz parte de nada daquilo e que parece ser tudo muito distante de você? Daí depois você olha pro brilho exuberante da lua e pras estrelas que lutam pra aparecer e pensa em como gostaria de pegar uma BR qualquer e sair por aí sem rumo até suas pernas não agüentarem mais?

Êta ventinho frio, me evapora, vai.

7 comentários:

Lyra disse...

Quantas vezes sinto exactamente isto que tão bem descreveste!

Muitos beijinhos para ti!!!

Até breve.

;O)

* hemisfério norte disse...

por falar em ver as estrelas....
é delicioso estar na aldeia (onde há pouca luz comparando com a cidade) e à noite deitar na relva (grama para vcs ehehe) e de barriga para cima fechar os olhos por uns segundos, depois abrir.....é uma sensação maravilhosa, parece que o céu todo cheio de estrelas vem ter com vc.
bjs
a.

Thiago disse...

...gostei!! um beijo de mares barceloneses

Tainá Simples disse...

Mesmo que fora de tudo isso, esse mesmo brilho exuberante da lua me da vontade de parar, deitar e dormir.
Ou se não melhor: teleportar-me para o lado da pessoa devida!

edson marques disse...

Belíssimo texto, menina!



Mas, mais fácil voê evaporar o vento em forma de Espírito!


Tome a BR-Coração, e vá fundo!


Abraços, flores, estrelas..

Lyra disse...

Olá,

Passei por aqui para te deixar um beijinho e desejar de uma excelente semana para ti.

Muitos, muitos beijinhos e até breve.

;O)

J.R. Lima disse...

Sei, sim.
E deopis fica uma estranheza, como se algo... mas só pra nós.
E o vento não nos leva.