segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

CARALHOOOOOOOOOOOO.!!!!!! FÉRIAS.
(precisa falar mais alguma coisa??)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009



Perfeito, perfeito mesmo?
Ahhh, é o fim de semana do seu lado, casada, trabalhando, fazendo comida, jogando, conversando, rindo, dormindo e indo a shows do Sepultura esporadicamente.
Perfeito, perfeito mesmo?
É ter você comigo, não importa onde, não importa quando.
Perfeito, perfeito mesmo?
Na verdade nada é... nós somos.

Te amo, o que mais dizer?

Pedido



Vem, me resgata desse poço onde me afogo em Desespero
Espero por ti,
Como a vida espera a Morte
Destrói essas algemas
Me resgata
Me leva pra longe,
Me faz Sonhar
Delirar de prazer,
De Desejo
Vem,
Sejamos Destino
Infindo,
Perpétuo.


nao te quero aos prantos
fortuita
se escondendo pelos cantos
gratuita
esperneando pela vida
nao te quero ferida
soturna
noturna
caminhando perdida
pelos poroes dos teus castelos
triste
em fragelos
trancada
em cadeados pesados
arrastando correntes
nas masmorras
das tuas prisoes emocionais
eu te quero mais
muito mais do que eu imagino
nem sou eu que te quero tanto
e' o destino
o destino te inventou pra mim

~>Original aqui, por José Luis


Sempre tem aquela pessoa que, por mais que tenha disparidades contigo, você vai amar. E por mais que chores por ela, você ainda vai continuar amando. E se você está junto dessa pessoa, por mais que as coisas possam dar errado você vai continuar sempre acreditando no amanhã e sentindo como se fosse a pessoa mais feliz do mundo por ter estado com ela todo esse tempo. Por mais que você brigue, você sabe que tudo foram flores (com espinhos, mas não deixaram nunca de ser flores). E você sabe que, quando chora, briga, deixa de prestar atenção, fica emburrado e quando faz todas essas coisas, a pessoa que está com você, e que te ama, sente muito. Você sabe que ela sente muito mesmo. E sabe que a machuca. Então você se esforça. Você se esforça como nunca se esforçou pra nada na vida antes. Você se esforça porque, seja verdade ou não, você se sente a pessoa mais feliz do mundo ao lado dela e tem medo de perdê-la. Você se esforça para sempre sorrir, não reclamar, não chorar, não brigar, não ficar chateado, não cobrar demais, não pedir demais, pra ajudar, pra cuidar, pra dar carinho, dar atenção, pra merecer esse amor... e então você percebe que continua fazendo mal, de alguma forma, pra essa pessoa... Ela continua sentindo muito. E você fica triste, e chora, e emburra, e pede perdão... E sente como se o mundo tivesse desabado em um dia, depois de tanto esforço pensando que estava dando certo. Lá estão vocês novamente naquele ponto. Será que te faço algum bem? Ou será que minha loucura inconstante e inconsequente te contagiou de tal forma que você não pode mais evitar o rancor? Não faça isso comigo. Não faça isso com você. O esforço tem sempre que ser pra bem, não pra mal... Entende? Quero continuar cuidando de você. Quero continuar amando você.



~>apesar do post não ser dos mais felizes, coloquei essa imagem porque achei que você fosse gostar.

sábado, 3 de outubro de 2009

Equilíbrio



"Condição de um sistema físico no qual as grandezas que sobre ele atuam se compõem, para não provocar nenhuma mudança em seu estado." Gostei da definição, daqui.


~>Preciso disso.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Uma estória de vida.


"Assim como é em cima, é em baixo", como já diziam os antigos bruxos. Alma. Ela não é diferente da carne, é feita da mesma matéria das estrelas. O segredo da vida? Infelizmente não me foi revelado. Eu flutuava, sem corpo ou mente. Só sentimento. E eu via, via corpos de todas as formas. Humanos, animais, formas geométricas, pensamentos, lembranças, não nascidos e ainda mortos. Todos habitam o mesmo lugar, acredite ou não. Quando agente cresce já não pode mais ver certas coisas, o convívio com os outros da nossa espécie nos tapa os olhos e os sentidos. Não, isso não é errado, somos programados assim.
Faz dois anos e meio que nasci. Fui colocado dentro de um corpo tão pequeno... Ele estava fechado dentro do que compreendi ser a barriga de minha mãe. Percebi isso quando descobri o tal cordão umbilical. É mágica a sensação de se alimentar de outra pessoa, sua energia, sua alegria ou tristeza, euforia e tudo o mais. Era silencioso, calmo, apenas esperando o que viria no próximo dia. Quando estive pronto pra sair dali, eu saí. Já não conseguia absorver tanto de minha mãe, precisava correr atrás das coisas por minha própria vontade. Não demorei para compreender quem era quem em minha família e nem pra perceber que era só fazer um barulho específico para que me alimentassem, dessem banho ou trocassem minha frauda. Fui cescendo aos poucos. Meus pais brigavam de vez em quando. Eu chorava no começo mas acabei me acostumando. Era bom pra eles, necessário para se entenderem. Em pouco tempo brigariam comigo também. Eu me divertia com objetos que os adultos dizem ser inanimados e conversava muito com seres que eles diziam não existir. Eu os via, oras, eles me ensinavam coisas. Estou chegando na idade de me tornar cético. Já ouviu dizer que as pessoas não costumam lembrar muitas coisas de quando tinham menos de três anos? É, somos programados, já disse. Só gostaria de deixar algum relato, pra quando crescer saber que esxiste muito mais coisa além da visão. Não é preciso temer, só há maldade no coração dos humanos, todo o resto é paz. Vejo maldades na TV, quando me deixam lá para realizar suas atividades. Somos todos da mesma matéria, da mesma essência, somos todos um só. Feliz daquele que acredita na intuição, porque ela é a lembrança camuflada dos sentimentos de um passado bem escondido.

sábado, 19 de setembro de 2009

segunda-feira, 7 de setembro de 2009



Eu posso sorrir, te abraçar com minhas asas, te levar pra voar... percorrer os céus derretendo-se ao redor do luar.. Podemos caminhar sobre as águas e debaixo delas, nadar com os peixes e sereias e conhecer todos os elementais e místicos animais.
Podemos tanto... vem comigo.!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Liberdade


Sabe quando você sente medo de andar pra frente porque não sabe o que vai encontrar pelo caminho, mas onde você parou também já não é mais seguro? Asseguro-lhe que o caminhar é mais gostoso.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009


Só depende de nós mesmos.
Mudar, continuar... seja lá o que for.

Só depende de mim.


~>vontade de dar certo.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Dei tudo de bom que havia em mim pra quem não deu valor... e agora, o que resta pra quem merece?

domingo, 19 de julho de 2009

Só por hoje eu não quero olhar nos seus olhos, só por hoje eu não quero passar do seu lado. Porque dói. Dói passar do seu lado e nenhuma palavra sair (e nem entrar) e continuar não sabendo nada da sua vida, nada. Ahhh pai, ah se você soubesse... Ah, se você sentasse do meu lado e me fizesse rir, ou chorar tanto faz, e agente conversasse... Eu juro que poderia te distrair por horas só falando, falando tudo aquilo que não falei em quase 21 anos e eu poderia ficar quetinha, só te olhando e ouvindo e chorando (ou rindo, sei lá). Mas não. Fico aqui no meu quarto vendo um filme qualquer ou lendo umas linhas que uma pessoa qualquer escreveu enquanto a barriga dói de fome porque você está na cozinha e não quero passar do seu lado. Eu sempre achei que agente tinha uma boa relação, meio calada, claro, mas boa, agente se entendia. Mas hoje... cadê? Ahhhh, pai, por que você não me conta, pai? Preciso das palavras.
Todo mundo faz o que faz porque pensa ser o melhor, seja pra outro alguém ou pra si próprio. E no fim, quando paramos para olhar à nossa volta, está tudo no lugar que devia estar e podemos pensar que foi tudo em vão, mas não foi. Se as coisas não tivessem acontecido poderia estar tudo de cabeça pra baixo mas, calma, não tem nada de cabeça pra baixo, está tudo no lugar, olha!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

=/


Eu queria ter o segredo da felicidade. Queria poder dizer que "posso ser o que você quiser, só pra te ver feliz", mas infelizmente não posso. Se eu tivesse esse segredo, eu juro, eu não seria egoísta. Tem muita gente boa nesse mundo precisando ser feliz.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

~> Nuvem negra na cabeça
~> Nó apertado na garganta
~> Faca atravessada no peito

... e assim os dias vão passando.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SOCORRO.!!!!! Por favor, alguem enxerga meu desespero...

sábado, 2 de maio de 2009

Fuga de mim

Foto: simon lyutakov


Odeio não ter o quê odiar e ainda assim sentir ódio. Odeio essa dor no peito, o aperto no coração e o nó na garganta. As lágrimas caem sem sentido, embaçando minha visão e meus pensamentos. As lágrimas caem sem direção certa e atingem onde não devem atingir. Atingem como flechas, como lâminas. Como facas que caem do céu, elas machucam.
Não, chorar não adianta porra nenhuma. Não quando não se tem o quê aliviar, não quando não se sabe de onde vem tanta aflição. Amaldiçoada seja Eva que comeu do fruto sagrado(ou impuro?) que nos deu o dom de raciocinar. Maldito seja deus que criou tal fruto e a serpente que o apontou e a mulher que o comeu e o homem que não teve opinião própria. Seria muito melhor se a humanidade não tivesse a chance de pensar e vivesse como animais selvagens seguindo seus instintos e vivendo como têm de viver, onde têm de viver sem se subordinar a um trabalho ou a ter que suportar atitudes alheias que irritam... Vai ver eles se subordinam ao se juntarem a bandos pensando na própria segurança, sei lá. Mas é bom pensar o contrário, pensar que haveria uma escapatória pra tanta falta de sentido nas minhas idéias se tudo tivesse sido diferente. Talvez se o macaco tivesse evoluído pra um... sei lá, pra um réptil gigante, talvez eu fosse uma sereia e estaria por aí só penteando meus cabelos e cantando tranquilamente.
Eu preciso de férias, preciso de descanso da minha vida... há tantos anos eu preciso disso... Preciso dar um tempo de mim, esquecer quem eu sou, esquecer as coisas que prezo, esquecer o lugar onde vivo, onde trabalho, onde estudo... Preciso aprender a respirar de novo, preciso nascer de novo e me tornar outra pessoa; uma pessoa completamente diferente do que sou. Quem sabe numa outra vida... Quero saber o que vem depois do último suspiro. O último suspiro é diferente, disso eu sei (e como sei), mas e depois? Como me dói essa dúvida. Como me dói toda essa merda... O mundo gira e as coisas não fazem sentido, to de saco cheio dessas crises infundadas e dessa curiosidade e dessas dúvidas e de não entender nada, isso não é justo.
Acho que nunca vou me adaptar ao que o mundo quer que eu seja. Também não acho nada provável que o mundo se adapte a mim. Não nasci pra viver aqui e por mais que o tempo passe rápido, não passa tanto quanto eu gostaria. Quero correr mais rápido do que o mundo gira. E quero achar o fim da linhas porque andar em círculos com todas as maluquices indo e vindo o tempo todo cansa.
Às vezes tenho vontade de chacoalhar umas pessoas pra ver se enxergam o que está acontecendo à sua volta... Mas as vezes acho que quem precisa disso sou eu mesma. Mas minha cabeça já gira e gira sem chegar a lugar algum, se balançar aí o troço enguiça.


~> Sem que ninguém perceba, pego as poucas notas que troquei pelas moedinhas que juntei pela casa por anos, pego a escova de dentes, meus cd's, umas frutas, umas roupas de frio e meu gatinho de pelúcia. Boto tudo dentro da sacola de viagem e saio. De fininho chego até o portão. Tenho 10 anos e sem lugar pra ir. O mundo é grande, escuro e na rodoviária não me deixam comprar passagem sozinha. Mesmo que deixassem, meu dinheiro talvez fosse o suficiente pra ir até Araguari. Araguari não deve ter nem rodoviária, pra onde iria depois? Como conseguir dinheiro? A polícia ia me pegar rapidinho. À pé não conseguiria chegar muito longe, tenho 10 anos e uma mala pesada pro meu tamanho. Volto. Espero que alguém me salve, algum dia, algum super herói.


~> "Não adianta fugir, está dentro dagente."

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Sopra demais o vento

-Fernando Pessoa

Sopra demais o vento
Para eu poder descansar
Há no meu pensamento
Qualquer coisa que vai parar

Talvez esta coisa da alma
Que acha real a vida
Talvez esta coisa de calma
Que me faz a alma vivida

Sopra um vento excessivo
Tenho medo de pensar
O meu mistério eu avivo
Se me perco a meditar

Vento que passa e esquece
Poeira que se ergue e cai
Ai de mim se eu pudesse
Saber o que em mim vai!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

A menina que conheci


De uns dias pra cá eu conheci uma menina triste. Ela me confessou que ela chora, incontrolavelmente, incansavelmente, desejando voltar a um mundo imaginário onde viveu por muito tempo. Ela não sabe mais o que fazer com as palavras (quando elas aparecem) e nem com os pensamentos (que vêm aos montes).
Ela disse que se sente sozinha no mundo, sozinha. Não existe pessoa no universo que seja capaz de compreender a ânsia de vômito quando lhe falta ar e a falta de ar quando chora. Não há pessoa no mundo com quem ela seja capaz de dividir todas as suas dores e suas noites insones. Mas ela também disse que entende que não há pessoa no mundo que seja obrigada a escutar seu silêncio e seus soluços. Por mas que alguém diga "eu estou aqui", ela sabe que cada um tem sua vida e suas responsabilidades, que ninguém deve perder uma noite de sono... Ainda mais POR ELA, que não se acha merecedora nem do pão que come.
Essa menina, se um dia foi poeta, hoje chora sobre seus escritos. Se um dia foi criança, hoje chora sobre as lembranças e se um dia foi de um todo alegre... nem se lembra. Ela remói, noite após noite, tudo o que lhe faz mal e assim vê aos poucos a insanidade consumir sua alma e domar seus atos. Queria ela sumir dali. Sumir daquela casa onde vive, daquele corpo onde vive, daquela mente onde vive.
Bem que ela podia sumir. E me deixar em paz. Porque ela, e todas aquelas borboletas (na barriga, no peito e no teto do quarto), está se matando um pouco a cada dia, e eu estou indo junto porque já não sei quem é ela e quem sou eu e isso me desespera porque às vezes me vejo pelo lado de fora do meu corpo e eu sei que sou eu ali mas eu não estou lá eu estou de cá chorando ou voando não sei bem se as coisas são diferente ou se é tudo igual ao que sempre foi e eu sou quem mudou mas acho que tudo ainda é o mesmo e eu estou ficando louca. Não quero acabar meus dias num hospício.
.
.
.
.
.
.
.
.
~>Não quero nunca esquecer daquela sensação. Suas mãos percorrendo meus cabelos e seus lábios macios e quentes tocando os meus, salgados, e seus dedos forçando minha cabeça contra a sua enquando um vento frio vinha da rua para secar as lágrimas. Não quero nunca te perder porque apesar dos pesares(e apesar de você nunca ler isso sem que eu te fale pra ler) você é a minha base, lembra? Sem você eu desmorono.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Fabi, Dan e Caiorindo

Nyaaaaaaaaaaaaaaaahhhh
Todo mundo já cansou de ouvir falar que as pessoas que passam pela nossa vida sempre deixam um pouquinho de si e levam um pouquinho de nós, mas acho que as pessoas que realmente pegam um pouquinho de nós são as que aparecem e não se vão mais. Tenho esses três anjos, os melhores amigos do mundo, por mais que morem longe e por mais que passemos muito tempo sem se falar, o simples fato de ouvir suas vozes ou relembrar conversas são o suficiente pra me deixar numa alegria sem igual. Anos e anos se passaram desde que os conheci, cartas foram mandadas, ligações foram feitas, internets foram perdidas, tanta coisa conteceu... e ainda sou tão feliz por tê-los na minha vida.

...MEUS ANJOS... Eu amo vocês. ;)