quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Insônia

Tenho tanto a dizer e tão poucas palavras no dicionário. Tenho tanto sono e tão poucas horas em casa. Quero deixar a responsabilidade de lado e deitar na grama em baixo de uma árvore qualquer em uma praça qualquer (que naquele momento serão especiais pra mim e o momento nunca sairá da memória) e simplesmente sentir o vento forte no rosto e ouvir o som das folhas balançando, querendo fugir, querendo deixar a responsabilidade de árvore de lado e deitar no rio e se molhar e sentir a água correr, querendo fugir, deixar a responsabilidade de ser rio, se sentir grande e chegar em algum lugar, chegar no mar e inundar o horizonte, ter poder. Eu quero ser grande e quero chegar a algum lugar e às vezes simplesmente não sei como fazer isso. Tenho tantos sonhos e tão poucas horas num dia, numa noite, sei lá. Tenho tantos pesadelos e tenho tanto sono e tenho tanto sonhos e tenho tanta realidade que quero fugir, que quero construir muros e sumir, me esconder num jardim secreto onde possa ficar balançando e talvez fazer amizade com o monstro de baixo da minha cama, que me atormenta e não me deixa levantar no escuro. Quero entrar no quarda-roupas e atravessar portões dimensionais e me perder num mundo de animais estranhos e lugares distantes e pessoas legais e amizades duradouras, quero confundir a ilusão com a realidade (pois sair da matrix só é uma ilusão criada praqueles que teimam insessantemente que a realidade é uma ilusão) mas sem me sentir essa louca maníaca paranóica que tem insônia e age como zumbi ouvindo música com foninho o dia todo e tentando se afastar do mundo. Quero me afastar do mundo.

AAAAAAAHHHHHHHHHHH, maldito sono e malditas noites mal dormidas, malditos barulhos que me amedrontam e maldita luz do rádio de madrugada, maldita doença e maldita febre, malditos...

Me sinto segura com você.

4 comentários:

Tainá Simples disse...

Ei de dar-te, e luto todos os dias para isso, muitas e muitas razões para sonhar sonhos seus, sonhos bons. Ei de dar-te motivos para não perambular pelos refúgios sozinhos, e motivos para sorrir todas as vezes que pensares no plural.

Cada momento contigo é um momento ímpar, único, que aprendo mais e mais, e que sou feliz. Eu amo você

Kalisia Autuori disse...

Ah, estamos felizes e isso é o que importa. você disse tudo no seu texto. e nele percebi que você sem querer ou querendo sitou dois filmes: na parte que você quer construir um mundo e se esconder num jardim, seria aquele famoso filme sessão da tarde "O jardim secreto" e na parte em que você quer entrar no guarda-roupa e sair em outra dimensão seria "Crônicas de Nárnia"!

Que Morfeu te acompanhe!

Kalisia Autuori disse...

Gracinha!
com selinho e tudo.

[estilo Hebe]

mitro disse...

É melhor tomar comprimido pra dormir, mesmo...