domingo, 7 de junho de 2015

Quantas vidas em uma vida?


Aos 24, sentada na encruzilhada, vendo a vida passar, vendo as pessoas selarem seus pactos e seguirem (algumas seguindo pra frente, outras seguido pra trás; algumas muito cientes, outras muito perdidas). Com as pernas frouxas, cansada de caminhar o mesmo caminho. Sentada na encruzilhada, esperando alguém me alcançar. Esperando alguém passar. Alguém que me carregasse, me empurrasse. Sentada na encruzilhada, chorando, sentindo, amaldiçoando a solidão da jornada, culpando aquele que não deixou de seguir seu caminho pra seguir o meu.

Aos 25, olhando pro rio que corre à frente, vendo as pessoas nadarem, boiarem, seguirem com a correnteza, algumas até se afogarem. Com os braços cansados de não trabalhar, cansados de nadar contra a correnteza fora d'água. Olhando pro rio, esperando alguém construir a ponte. Esperando alguém construir a jangada. Alguém que saiba nadar esse rio. Olhando pro rio, confusa, distraída, arrastando junto alguém que jamais deveria atravessar o rio que é meu.


Aos 26, saltando do abismo, deixando tudo pra trás, sem enxergar ninguém além de mim mesma na queda. Com o coração repleto, completo, desperto. Saltando do abismo em direção a tudo aquilo que desejo. Sendo egoísta e sendo generosa. Esperando de mim mesma tudo aquilo que posso fazer. Saltando do abismo, girando a roda da fortuna, sendo louca, buscando um novo caminho sem desfazer do que já foi percorrido.

Quantos caminhos você já percorreu?
Quantos objetivos já buscou?
De quantos sonhos correu atrás?
Quantos futuros almejou?
Quantas vidas viveu dentro desta?


How many roads must a man walk down?

Nenhum comentário: