quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Uma estória de vida.


"Assim como é em cima, é em baixo", como já diziam os antigos bruxos. Alma. Ela não é diferente da carne, é feita da mesma matéria das estrelas. O segredo da vida? Infelizmente não me foi revelado. Eu flutuava, sem corpo ou mente. Só sentimento. E eu via, via corpos de todas as formas. Humanos, animais, formas geométricas, pensamentos, lembranças, não nascidos e ainda mortos. Todos habitam o mesmo lugar, acredite ou não. Quando agente cresce já não pode mais ver certas coisas, o convívio com os outros da nossa espécie nos tapa os olhos e os sentidos. Não, isso não é errado, somos programados assim.
Faz dois anos e meio que nasci. Fui colocado dentro de um corpo tão pequeno... Ele estava fechado dentro do que compreendi ser a barriga de minha mãe. Percebi isso quando descobri o tal cordão umbilical. É mágica a sensação de se alimentar de outra pessoa, sua energia, sua alegria ou tristeza, euforia e tudo o mais. Era silencioso, calmo, apenas esperando o que viria no próximo dia. Quando estive pronto pra sair dali, eu saí. Já não conseguia absorver tanto de minha mãe, precisava correr atrás das coisas por minha própria vontade. Não demorei para compreender quem era quem em minha família e nem pra perceber que era só fazer um barulho específico para que me alimentassem, dessem banho ou trocassem minha frauda. Fui cescendo aos poucos. Meus pais brigavam de vez em quando. Eu chorava no começo mas acabei me acostumando. Era bom pra eles, necessário para se entenderem. Em pouco tempo brigariam comigo também. Eu me divertia com objetos que os adultos dizem ser inanimados e conversava muito com seres que eles diziam não existir. Eu os via, oras, eles me ensinavam coisas. Estou chegando na idade de me tornar cético. Já ouviu dizer que as pessoas não costumam lembrar muitas coisas de quando tinham menos de três anos? É, somos programados, já disse. Só gostaria de deixar algum relato, pra quando crescer saber que esxiste muito mais coisa além da visão. Não é preciso temer, só há maldade no coração dos humanos, todo o resto é paz. Vejo maldades na TV, quando me deixam lá para realizar suas atividades. Somos todos da mesma matéria, da mesma essência, somos todos um só. Feliz daquele que acredita na intuição, porque ela é a lembrança camuflada dos sentimentos de um passado bem escondido.

2 comentários:

Tainá Simples disse...

Interessante as imagens...
As imagens são uma forma silenciosa de expressar-se.

A imagem.
A expressão.
O gesto.

Tens adotado bastante este meio...
Algo a dizer? Ou ainda, muito a não dizê-lo?

No nascimento, crê-se que um feto sabe tudo, vê tudo, compreende muito bem tudo. Mas não fala.
E depois?
Depois que aprendemos a falar, desaprendemos a compreender, a ver?

Delirium disse...

Acho é que agente nnunca aprende a falar. Podemos ver muito bem, mesmo que percamos o dom de compreender, mas falar... isso agente nunca aprende. Em cada momento, pra cada pessoa, tudo deve ser dito de maneiras diferentes, em outros momentos nada deve ser dito... é tão complicado meu amor, é tão difícil.


~>Prometi tentar e continuo tentando. juro.