segunda-feira, 23 de junho de 2008

Luto.

Como a vida é frágil.
Penso no pouco que vivi e quantas coisas vivi... Tanta coisa.
Mas quando tudo se acaba, parece ter sido tão pouco.
70 anos passa a ser um nada perto do que gostaríamos.
Pelo menos ficam as lembranças, o sentimento... O pensamento de que já era hora.(ou não)
Difícil mesmo é encontrar palavras, seja pra explicar ou expressar, quando só as lágrimas conseguem ser exteriorizadas.

Aquele fio de cabelo rebelde que sempre caia na testa, o arrastar dos pés cansados, o estralo das mãos com aqueles dedos longos, as veias sempre volumosas na pele branca e fina, o olhar já embaçado de tanto ver, o riso sofrido... Detalhes.

Fica a saudade.

"Quando você nasceu, você chorou e o mundo regozijou; viva sua vida de tal maneira que, quando você morrer, o mundo chore e você regozije"

5 comentários:

* hemisfério norte disse...

luto pela saudade
que fica
luto pelos abraços
que não dei
luto pelas palavras
que n te disse
luto pq te amei
(to my mum)
bjs
a

Lyra disse...

Perante o que sentes neste momento...não tenho palavras...não há palavras...

Por isso deixo-te um grande beijinho e um terno abraço.

Até breve minha querida.

J.R. Lima disse...

o luto é a solidão extrema, que todos vivemos em alguns momentos, mas que não há, de fato, como compartilhar.

bonito post, linda homenagem.

edson marques disse...

A vida não é curta, nós é que a tornamos...



Abraços, flores, estrelas..

Tainá Simples disse...

Seriamos nós egoístas por sentir falta, querer alguém novamente para perto de nós quando ela alcança o descanso eterno?